sexta-feira, 20 de junho de 2008

A ESTRATÉGIA DA ARANHA

Reza a tradição que o Princípio AIKI foi descoberto a partir das observações das táticas de uma aranha para apanhar sua presa na teia. Há uma outra lenda xintoísta registrada no Kojiki, aliás muita parecida com uma da mitologia grega, em que um herói vence seu titânico adversário usando o Princípio AIKI, quando imobiliza o seu oponente "com uma mão de fogo e outra de gelo".

Bem, mesmo na Física Clássica existe também a lenda da maçã que caiu na cabeça de Newton e o resto é história...
Mas como não descarto nenhuma hipótese de investigação e respeito o poder das metáforas (muitos mestres antigos extraiam e codificavam seus ensinamentos em fenômenos observáveis da Natureza), passei a investigar o comportamento predatorial de certas espécies de aracnídeos à luz da ciência atual.
Nestas pesquisas me deparei com um fato curioso que combinou meu estudo do movimento balístico das correntes (vide exercícios e artigo do Speedchain) com a propagação de ondas mecânicas captadas pelos aracnídeos, insetos e animais em geral...


Com a ondulatória aprendi que podemos ser tanto ou mais sensíveis que um escorpião, pois também captamos sutis radiações eletromagnéticas ao nosso redor.
O Princípio AIKI foi registrado nesta lenda como uma analogia poética visando explicar a forma de neutralizar a força do adversário e redirecionar a mesma contra ele sem depender de força muscular bruta.
Isso exige extrema sensibilidade, percepção, feeling (neuro-sensorial mais do que neuro-motor) e o link acima explica que qualquer movimento gera ondas e vibrações que podem e devem ser captadas a nosso favor. Então, uma vez detectadas pelo nosso radar, cabe tomarmos a decisão de enviar a dose certa mínima de força sinestésica capaz de anular (ou reverter) as linhas e vetores de força do movimento adversário na sua fonte de origem (Princípio estrutural da Tensegridade).
Isso esclarece como executar as manobras sem necessidade de lutar contra a reação de um oponente em condições de resistência.

Todavia, essa estratégia não desestimula o emprego de golpes traumatizantes conforme demonstrarei em futuras postagens.

Nenhum comentário: