sábado, 14 de junho de 2008

SPEEDCHAIN - A Revolução da Corrente!

De 1995 a 2005 pratiquei um sistema marcial chamado "Yi Chuan", o boxe do pensamento. É um estilo interno chinês de Kung Fu derivado de uma antiga arte marcial indiana.
A respeito desta arte, conta-se que seu principal representante foi Guo Yunshen (1827~1903). Durante um dos seus violentos duelos, seu oponente morreu e por isso foi condenado. Como era um lutador perigoso, os guardas preferiram mantê-lo acorrentado atrás das grades. Apesar disso, esta punição se mostrou uma benção para ele. Nos três anos em que ficou aprisionado, ele desenvolveu ainda mais a força explosiva à curta distância do seu soco, usando a resistência isométrica das correntes e algemas que o impediam de completar os golpes.

Além de desenvolver poder de arrancada (Força = Massa x Aceleração), a intenção e o treino da vontade por causa da restrição dos movimentos alavancaram suas habilidades a um nível surpreendente! Este aprendizado foi repassado para o Yi Chuan através do seu principal herdeiro, o mestre Wang Xiang Zhai. No Brasil treinei com Wang Te Cheng, um dos discípulos de Wang Xiang Zhai, e muito dos exercícios da Imobilidade Dinâmica e de movimentos lentos do meu método são derivados das suas formas de Chi Kung marcial, medicinal e meditativo.
E quando passei a pesquisar mais esta técnica de treinamento com correntes descobri o SPEEDCHAIN !

Desde 2001 eu estava buscando um equipamento que pudesse substituir o treinamento estático com peso livre ou em máquinas, na tentativa de evitar os problemas que decorrem de um treinamento não-funcional.No caso específico das artes marciais, o exercício deve ser balístico, ou seja, seguir os padrões naturais de movimento humano, que oscila nas 3 dimensões do espaço e no tempo (ritmo e compasso diversos).
O treino com halteres e outros pesos fixos e de amplitude limitada, só impõe força linear e quando tentamos acrescentar um esforço mais "balístico" (circular e elíptico) e veloz, corremos sérios riscos de lesões.
Já o treino com cordas, polias, cabos e elásticos não simulam com precisão o esforço correto que o movimento dos golpes exige do praticante, além de requerer inúmeras variações de ângulos e posicionamentos.O treino na água, dentro de piscinas, rios e no mar, também ajuda a melhorar o condicionamento físico sem sobrecarregar as articulações, porém a hidroginástica tem o agravante de ser dispendiosa e pouco prática a longo prazo.
Além dos bastões e alabardas chinesas, da vara longa aos diversos tipos de nunchaku, também pesquisei o Kettlebell russo, o Kettlestack e as clavas indo-persas de guerra e comprovei que, apesar de superiores na simulação do movimento, ainda não eram suficientemente seguros para se treinar a dinâmica marcial de socos e chutes em várias velocidades e direções. No Japão o treino com o Suburi-tô (sabre pesado de madeira ou metal) também demonstrou as mesmas limitações acima...).

Para o artista marcial o importante é aumentar a aceleração dos seus movimentos, melhorar o rendimento do seus impulsos neurais e ganhar estabilidade interna no corpo, bem como resistência anaeróbica e explosão máxima nos deslocamentos, esquivas e golpes de impacto. E isso deve imitar a suprema demanda de esforço de um combate real sem danificar as articulações ou comprometer a saúde do corpo.
Ganhar massa muscular é importante, desde que não se perca destreza, reflexo e mobilidade no processo. Particularmente tenho uma visão diferente da musculação com aplicação para fins marciais — e mesmo estéticos — que ainda não é bem conhecida pelos praticantes tradicionais das academias...
Ciente disso, orientei as minhas pesquisas para uma ferramenta que pudesse facilitar o treinamento dos praticantes sem custos extras com aquisição de máquinas e pesos, que fosse funcional, prática e segura em todos os sentidos. Finalmente me deparei com um novo tipo de equipamento idealizado pelo técnico havaiano Kelvin Miyahira para aumentar a potência e, principalmente, a velocidade dos movimentos de um atleta. Apesar de estar orientado para o golfe e o tênis, dois dos esportes mais caros do mundo, este estilo e ferramenta de treinamento denominado SPEEDCHAIN solucionou meu dilema!
Além de simples e barato, o treino de movimentos marciais com correntes justificou a história do mestre Guo Yunshen e a rapidez quase sobrenatural do seu famoso soco.Assim, recentemente eu trouxe com exclusividade para a Academia Imoto o treinamento com correntes para aumentar a velocidade dos golpes e movimentos dos praticantes.
Autoproteção requer economia de recursos e resultados acelerados e seguros. A corrente, até o presente momento, comprovou ser ideal para atender a estes requisitos da autoproteção marcial. Há muito mais a ser dito sobre este treinamento revolucionário, inusitadamente simples, natural e inovador, ainda sem outra representação no Brasil além da Academia Imoto. Em breve colocarei alguns videos mostrando as aplicações e formas de se praticar o SPEEDCHAIN adaptado às nossas necessidades combativas.

Para saber mais sobre o Speedchain:
http://www.speedchaintraining.com/index.htm
http://www.speedchain.net/en/index.html
http://www.speedchain.com/
http://www.golf-swing-tips.com/speed-chain.html
http://speedchaininstructions.com/
http://www.tennisspeed.com/
http://oatesspecialties.com/

No Youtube:
http://www.youtube.com/tennisspeed

Outras formas de se usar correntes no treinamento de força:
http://br.youtube.com/watch?v=gNqJpyHZ7ic
http://br.youtube.com/watch?v=KlINy8WCwfI
http://br.youtube.com/watch?v=uaFE9fg4jK4
http://br.youtube.com/watch?v=-YTEB4RcWxE
http://br.youtube.com/watch?v=NFSaDeVz2mU
http://br.youtube.com/watch?v=dyXjTESAZzg
http://br.youtube.com/watch?v=wFN9yJ-E-a8
http://www.newyorkbarbells.com/chains.html

Mesmo o pessoal ortodoxo da musculação está adotando as correntes em seu treinamento "hardcore". Pesquisas científicas na área da medicina esportiva demonstraram que a resistência variável imposta pelas correntes devido à oscilação dos seus vários segmentos (elos) é uma vantagem superior em relação à resistência estagnada dos pesos fixos e compactos (halteres, barras, polias, pratos, medicine balls, weight bags, discos, kettlebells, etc).
Com o peso menor das correntes o atleta consegue resultados de força, resistência e ganho muscular maiores e com mais segurança do que com grandes cargas. E em qualquer outra área da vida, resultados contam mais do que preferências individuais ou formas tradicionais...

Para saber mais sobre o lado científico da vantagem física e mecânica das correntes:
http://www.strengthcats.com/VariableVsStandard.htm
http://www.speedchain.net/en/why.html
http://www.speedchain.net/en/training.html

Nenhum comentário: