quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

YUKIYOSHI SAGAWA — Mestre do Aiki


Yukiyoshi Sagawa nasceu em Uebetsu, na ilha de Hokkaido, no Japão, em 1902.
Ele começa a estudar o Daito ryu jujutsu com Sokaku Takeda, em 1914, depois de haver recebido o ensinamento de seu próprio pai, Nenokichi Sagawa, que se transformou em um dos assistentes de Takeda em 1912.

Esse encontro lhe abre portas aos conhecimentos do aiki, um princípio dominado por Takeda e que Sagawa definia como "a técnica que anula a força do adversário". Sagawa, que por causa disso foi por um tempo parceiro de treinamento de Morihei Ueshiba (o fundador do Aikido), contava esse período de sua vida dessa maneira:

"O ensinamento de Takeda sensei custava muito caro. Em uma época onde o salário mensal de um empregado do correio era de oito ienes, cada aluno deveria pagar dez ienes por uma semana de ensinamentos. Havia a necessidade de ser rico para aprender. Quando ele ensinava a meu pai, ele o recebia em casa: o banho deveria estar pronto não importa em que momento do dia, assim como as três refeições. Ele deveria, além disso, lhe convidar de tempos em tempos para comer em um restaurante muito bom. Ele o pagava por mês 500 ienes a mais, o que ultrapassava de longe o salário do prefeito de Hokkaido. Nós o convidávamos por períodos de um mês. De outra forma, a família teria se esgotado. Era um dever lhe tratar todo o tempo e todas as horas do dia como um professor honrado... Após os treinamentos noturnos, deveríamos conversar com ele até que ele dormisse. Apenas a partir das duas horas da manhã eu podia fazer anotações sobre as lições."

E completa:

"Quando Sokaku Takeda vivia na casa do meu pai, não o víamos nunca se levantar pela manhã, não sabíamos aonde ele ia praticar seus exercícios de resistência, que o permitia cultivar o aiki em seu corpo."

Na época o jovem Sagawa conseguiu seguir seu mestre uma manhã às escondidas e observou seu treinamento secreto, que consistia em efetuar diversos movimentos parecidos aos do suburi no meio de um tronco pesado.

Sagawa recebeu um certificado de ensinamento (kyoju dairi) das mãos de Takeda no dia 24 de outubro de 1932. Isso aconteceu em Sapporo, em Hokkaido. A partir daí ele acompanha frequentemente Takeda durante suas numerosas viagens primeiramente como parceiro de demonstração e depois como professor-assistente. Ele é corretamente reconhecido como um dos mais importantes alunos de Sokaku Takeda.

Durante a Segunda Guerra Mundial, enquanto Tokimune Takeda, filho de Sokaku Takeda, efetuava seu serviço militar, Sagawa assume o título de próximo herdeiro (soke) de Daito ryu para suceder à liderança da escola, na hipótese de Tokimune ser morto em combate. Mas ele consegue retornar vivo e se transforma no 36º soke de Daito ryu após o falecimento de Sokaku Takeda, em 1943.

Sagawa consegue sua independência e ensina no seu dojô privado situado em Kodaira, na periferia de Tóquio. Suas técnicas eram afastadas daquelas da corrente principal atual do Daito ryu, mas de grande valor, das quais todos que as experimentaram não viram sentido em duvidar da sua eficácia.

De acordo com Sagawa, Takeda havia descoberto e dominado o princípio do aiki, técnica que permitia desequilibrar um adversário a partir do primeiro contato. Takeda havia desenvolvido esse conhecimento do aiki após numerosas repetições em diversos combates. O princípio aiki constitui a raiz profunda das técnicas praticadas com ou sem arma. Na sua época e cultura, Sokaku Takeda não podia divulgá-las facilmente e muito menos explicá-las.

Sagawa acreditava que compreender esse princípio aiki era tão difícil e sutil que somente ele conseguiu. Veja algumas de suas palavras.

"O aiki é extremamente difícil. Vocês podem imaginar o grau de dificuldade já que, apesar de muitas pessoas terem recebido os ensinamentos de Takeda sensei, eu sou o único que pude compreendê-lo. Meu pai e eu concluímos que sem a compreensão do que é o aiki é inútil aprender técnicas diferentes. Isso nós obrigou a compreender o segredo do aiki. Eu o compreendi quando tinha 17 anos. Takeda sensei morreu pensando que seu aiki não foi compreendido por ninguém."

Quando perguntavam a ele se era possível um indivíduo descobrir o aiki apenas com suas próprias capacidades, ele respondia:

"Eu penso que é possível, se perseguimos determinados princípios, que não se tratam de variações técnicas. Uma coisa tão complexa e sutil não pode ser transmitida de geração em geração... Diante de Takeda sensei e seus alunos, eu quase nunca mostrei meu aiki. Takeda sensei jamais havia pensado que eu seria capaz, da mesma forma que eu. Ele viu que eu fiquei mais forte, mas ele pensou que nunca havia transmitido o aiki a alguém."

Em um período posterior de sua vida, Sagawa desenvolveu capacidades extraordinárias, que seu aluno Tatsuo Kimura chama de "força transparente" em um livro chamado "Tomeina chikara*" (editado pela Aikinews). Seu credo era jamais parar de praticar, de perseguir e buscar. Essa noção de dedicação era para ele um ponto chave para adquirir o aiki.

"Mesmo que eu diga que o aiki não depende da força, para atingi-lo deve-se criar resistência para ser capaz de dominar a força. Esse processo deve ser duro, a cada dia, composto por reflexões. Para poder criar resistência de forma aceitável leva-se ao menos 20 anos. Sem um corpo treinado, é impossível perceber o verdadeiro aiki."

"Ao menos até os 70 anos você pode continuar a criar resistência muscular. Se você cria essa resistência até os 70 anos, você não a diminui após os 80 anos. Eu sou um exemplo. O objetivo de aumentar a resistência do corpo é obter a capacidade de realizar a eficácia sem utilizar a força. Se você deve utilizar a força, é porque você não criou essa resistência. Essa resistência não abrange apenas o corpo, mas também engloba a cabeça. Comece tão logo você compreenda. Se eu descubro agora uma ideia nova de treinamento, eu a pratico imediatamente, mesmo na minha idade, mesmo que eu tenha passado há tempos dos 80 anos. Mas não se deve nutrir a saúde criando resistência. Reflita e descubra um método para criar essa resistência sem se destruir."

E mesmo ao atingir uma idade avançada, ele não parava de praticar utilizando diferentes tipos de armas pesadas que ele fazia rodopiar a uma velocidade incrível. Ele concluía também séries impressionantes de flexões de braço e parecia ter uma grande estima pelo exercício de levantamento de pernas do sumô (shiko). Seu aluno, Kimura, conta em sua outra obra, "Descobrindo o Aiki – Meus 20 Anos com Yukiyoshi Sagawa Sensei" (editada pela Aikinews), que antes de ir ao exterior por um longo período pediu a Sagawa um meio de continuar a praticar. Ele lhe disse somente isso: "Faça shiko mil vezes por dia".

As faculdades de Sagawa eram realmente extraordinárias. Ele era capaz de projetar seus adversários sem nenhum esforço aparente, mesmo se eram mais jovens, e os imobilizava rapidamente. De acordo com seus primeiros alunos, os senhores Taguchi, Matsuda e Uchiya, os cursos se passavam sempre a portas fechadas e a cada vez eles tentavam surpreender o mestre, que se divertia com eles como se fossem simples marionetes. As técnicas de Sagawa eram orientadas na direção do combate real e evoluia sempre na direção de habilidades maiores.

"Eu sempre treino me colocando em uma situação de combate real. Eu elaborei movimentos contra formas diferentes de ataques por meio de socos, porque se deve ser capaz de fazer frente às técnicas de percussão. Eu estudei bastante as técnicas contra o boxe e consegui me esquivar de todas as formas de ataque. Se você pensa que é suficiente praticar a forma de treinamento clássica porque a arte tradicional é sempre superior, você se engana. Não basta respeitar o modelo tradicional. À época que a escola Daito ryu foi elaborada, não conhecíamos nem o Karatê e nem o Boxe e, conseqüentemente, não há técnicas que se opõem na forma tradicional porque eu elaborei as técnicas para dominá-las."

"Eu não permaneço nunca no mesmo nível. Eu me transformo com minha técnica, que é minha vida. Entre meus 87 e atuais 92 anos, minha técnica progrediu incomparavelmente."


Nos cursos, os alunos de Sagawa eram autorizados a utilizar todos os meios sobre ele, todas as técnicas ou todos os tipos de ataques, mas nada funcionava. Os alunos invariavelmente terminavam os dias no chão, sem terem sentido a mínima força ou o menor movimento.

Na lógica das antigas artes marciais, Sagawa cultivava o segredo, escolhendo cuidadosamente seus alunos e o conteúdo de seu ensinamento.

"Eu concebo a arte marcial em referência ao combate real. Eu, portanto, não ensino tudo. Minha superioridade está assegurada porque todo o mundo ignora o aiki, pelo qual eu posso vencer pessoas poderosas. Se eu não tenho o trunfo que os outros ignoram, eu corro o risco de me tornar igual a eles e perder um dia. É normal que eu guarde meu segredo. É problema de cada um. Mas os homens modernos não compreendem essa necessidade, porque eles vivem em um mundo diferente. Na arte marcial, devemos fazer o treinamento sem comunicar a ninguém o conteúdo."

Yukiyoshi Sagawa morreu em 1998, deixando a responsabilidade de seu dojô a Tatsuo Kimura.


BÔNUS:
* Trechos do livro "Tomeina chikara / Força Transparente" com as palavras do Prof. Sagawa:

"Veja! Por isso você não é bom. Você não faz algo simples por causa disso e disso e disso... Se você simplesmente atravessar a vida pensando que basta copiar as pessoas você nunca chegará a lugar nenhum. A única pessoa que pode fazer isso é você. Você deve criar o seu próprio entendimento para si mesmo.
Tome o Aiki como exemplo. Não há um caminho perfeito para realmente ensinar isso. Mesmo se eu pudesse apontar algo que é Aiki eu não poderia colocá-lo em palavras. Você simplesmente pensa que pode aprender tudo de mim, então você não desenvolve o hábito de pensar por si mesmo... No fim são os pensamentos que acumulou e colocou em ação que servirão de fundação para outros pensamentos... quando lhe respondem fácil ou influenciam você, então isto não é bom. Você deve ser seu próprio conselheiro. Decida por si mesmo o que é certo e o que é errado...


...Você deve assimilar o que aprendeu, e então inovar esta informação baseado em sua próprias idéias e experiências... Não importa o quanto aprendeu, se isso foi simplesmente ensinado para você, isso será esquecido. Entretanto você nunca esqueceria algo que adquiriu por si mesmo. Isso se torna parte de você. Em outras palavras, ensinar é simplesmente uma matéria de dar as pistas certas. Você deve adquirir aquilo por seu próprio esforço. Especialmente no caso do Aiki, isso é um sentimento interno que deve ser percebido e captado.
Não basta simplesmente questionar tudo também. Você não deveria simplesmente imaginar que é suficiente aprender a teoria. Cada corpo tem um biotipo diferente, logo não há garantia que tudo irá funcionar exatamente da mesma forma.
...Eu não ensino tudo, e eu não sou capaz de ensinar tudo. O que eu posso ensinar são os fundamentos de como o sistema esquelético funciona. Como os seus músculos e órgãos trabalham dentro desta estrutura cabe a você ponderar e descobrir sozinho."

Nenhum comentário: