sexta-feira, 27 de março de 2009

A SINERGIA* DO CORPO - Parte 1


A Biomecânica utiliza leis da Física e conceitos de engenharia estrutural para descrever movimentos e forças que agem sobre as partes do corpo durante nossas atividades diárias.

Esse ramo recente da ergonomia estuda a estrutura e o movimento do corpo humano a partir de suas três áreas principais: a Cinesiologia, a Cinemática e a Cinética.

A Cinesiologia abrange toda a área do movimento humano e se restringe à anatomia funcional;
A Cinemática descreve o movimento de todo o corpo ou dos segmentos corpóreos principais, independentes das forças que causam o movimento;
A Cinética abrange todas as forças relacionadas ao movimento dos corpos.

Na maioria das artes marciais e esportes de impacto, lesões graves podem ocorrer à partir da deterioração gradual dos tecidos ao longo dos anos de treinamento.
Uma luta é violenta e essencialmente de natureza cinestésica, por isso meu método é baseado em evidências experimentais e movimentos espontâneos, justamente para evitar danos e prolongar a vida.
E, embora uma conhecimento básico da balística dos movimentos, dos seus eixos e dos diversos tipos de trajetórias e de força gerada sejam essenciais para se compreender os fundamentos da luta, o potencial psíquico humano que contém a chave do Princípio AIKI vai muito além disso. Um estudo da musculatura, do esqueleto e da fisiologia do exercício permite montar estruturas de tensegridade com roldanas e alavancas para a transferência de peso e aceleração da velocidade dos golpes e no instante do impacto aproveitando o "momentum" de cada deslocamento.
Outra vantagem por trás da compreensão da biomecânica trata dos movimentos possíveis do corpo e dos melhores ângulos e posicionamentos para exercer força extrema sem risco de lesão (enquanto um músculo tenso encurta, um músculo relaxado se alonga).
Basicamente o corpo é uma estrutura tridimensional e articulada como uma sanfona, que se move e se projeta no espaço e no tempo em 3 planos distintos.

  1. No Plano Horizontal podemos avançar e recuar o quadril, ir para a direita e para a esquerda;
  2. No Plano Vertical podemos subir e descer;
  3. No Plano Neutro podemos rotacionar a cintura nos dois sentidos.

Da combinação destes planos associados aos movimentos dos membros e da cabeça surgem golpes livres e naturais sem coreografias estilizadas.
Ao aprofundar-se um pouco mais nesta ampla gama de movimentos possíveis, veremos que nossos membros compartilham de determinadas características motrizes:

  • Nossos braços, do ombro aos dedos das mãos, pode ser flexionados e extendidos de forma ativa e passiva;
  • Nossos pulsos podem girar em supinação (palmas para cima) e pronação (palmas para baixo), em abdução (abrindo) ou adução (fechando);
  • Nosso tronco também pode rotacionar para ambos os lados e inclinar-se arqueando para frente, atrás e lateralmente.

Na base dos pés podemos ter movimentos de inversão e eversão, essenciais para compreendermos as manobras de desequilíbrio. Os braços de alavancas e polias dos pés, começam na base do dedão, sobem pelos artelhos, joelhos e bacia e se distribuem através do quadril e da coluna vertebral pelos ombros, cotovelos, pulsos, dedos e pescoço.

Estes movimentos devem ser estudados em conjunto, unindo momentum e vetor de força para anteciparmos o efeito da ação e reação na dinâmica das manobras.

* Sinergia (do grego Synergo: ação em conjunto, cooperação):
Duas ou mais forças combinadas entre si geram um efeito maior do que a soma de seus esforços em separado. Exemplos comuns de Sinergia na tecnologia: um carrinho de mão une a roda e a alavanca, e se transforma em uma máquina composta muito mais eficiente do que a roda e a alavanca usadas em separado. Confira as máquinas simples que podem ser combinadas entre si gerando sinergia: a roda e o eixo, a polia, a cunha, o parafuso, a mola, as alavancas e as pranchas (rampas) inclinadas. A combinação entre estas máquinas simples geram as máquinas compostas e de ação conjunta como a roda dentada, corrente, dobradiças, correias de transmissão, pá, martelo, etc. Toda forma de transformar energia potencial (estática) em cinética (movimento) exige um processo de sinergia para evitar desperdícios. O sistema de funcionamento do corpo humano é um ótimo modelo de eficiência sinergética e de tensegridade, onde vários sistemas atuam em conjunto e se reforçam mutuamente, embora cada parte desempenhe um papel distinto e individual.

AIKI é o princípio essencial da sinergia e da tensegridade, vital para o futuro das artes marciais.

Nenhum comentário: