quinta-feira, 14 de maio de 2009

AIKI = SINTROPIA = SINERGIA


A sintropia (syntropy, também designada negentropia — entropia negativa) é o contrário de entropia (que é a medida do grau de desorganização de um sistema).

Ou seja, a sintropia mede a organização das partículas do sistema e foi o nome dado à coordenação de energias que têm por efeito diminuir a entro­pia, quer dizer, o desgaste de energia e maximalizar a sua utilização.

Segundo o químico russo Ilya Prigogine (Prémio Nobel de Química em 1977), flutuações ao acaso podem dar origem a formas mais complexas, a partir de grandes perturbações em um sistema, as quais podem dar início a mudanças importantes, tornando o sistema altamente frágil (aumento da desorganização = entropia).

Pode surgir então uma súbita reorganização para uma forma mais complexa (aumento da ordem = sintropia). As perturbações em um sistema são a chave para o crescimento da ordem. Isso seria uma forma de explicar, por exemplo, o surgimento de vida nos planetas. As configurações da natureza interagem com o ambiente local, consumindo energia dele proveniente e fazendo retornar a ele os subprodutos dessa utilização de energia. Os sistemas aumentam a sua desordem para que possa haver mais organização e as desorganizações do sistemas resultam em maior ordem, logo, maior sintropia.

Na falta de conceitos científicos que comprovassem racionalmente este fenômeno, os povos antigos davam à sintropia um significado místico e sobrenatural, e muitas vezes uma qualidade divina e metafísica...

Isto ocorreu com o Princípio Aiki, que aliás foi o termo japonês para explicar a sinergia (maximização de resultados) gerada nos processos sintrópicos que ocorreram dentro de algumas artes marciais ao longo da história.

Normalmente nos períodos de guerra é que novos avanços tecnológicos e científicos ganham fôlego e evoluem a um ritmo espantoso. Pois é justamente nestes ambientes de caos, destruição e batalhas sangrentas que, desafiando todos os prognósticos, surgem as grandes descobertas que catapultam o desenvolvimento humano para novos níveis de conforto, segurança e conhecimento.

Este paradoxo também ocorreu, ocorre e continuará ocorrendo nas artes marciais aprimoradas no contexto militar e esportivo.

Um exemplo moderno da sintropia nas artes marciais é o MMA (Mixed Martial Art), conhecido também como Vale-Tudo.

Desta "mistura" — no início experimental e caótica (vide "cross-training" nos primeiros eventos do UFC) — de artes marciais surgiu um novo método de luta corpo-a-corpo, mais completo e organizado, dando origem a uma nova forma de aprender a lutar e testar habilidades combativas.

O Método Imoto faz parte deste processo de sintropia, buscando ordenar os vários elementos das artes marciais em um todo, com um treinamento holístico, funcional, coerente e prático.

Por isso podemos afirmar que fazemos parte da última geração das artes marciais, pois a nossa tecnologia de combate é também uma tecnologia de ponta.

As artes marciais tradicionais e clássicas que não se atualizarem se tornarão a cada dia mais e mais obsoletas.

Esta é uma das razões de treinarmos desarmes contra ameaças com armas de fogo na Academia Imoto.

Nenhum comentário: