quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O MÉTODO IMOTO ENSINA EXERCÍCIOS DE RESPIRAÇÃO?


A pergunta certa deveria ser: é aconselhável fazer exercícios respiratórios?


Há várias décadas as pessoas, em especial na Europa e nos EUA, perderam a noção sobre este assunto. Eu soube de médicos e psicanalistas que ganham a vida tratando dos infelizes que estragam a saúde com supostas técnicas de respiração. É que muitos caem nos erros comuns da apnéia e da hiperventilação...
Milhares de livros foram vendidos sobre este tema, e todos pregam que “quanto mais respirarem profundamente, maior será a oxigenação das células,” etc. Isto é o que eles dizem. O resultado final é que deterioram o estado natural do corpo impondo mais um condicionamento sobre ele. Por isso, conforme alertei no livro "A Metafísica do Combate", não pratico ou ensino exercícios de respiração nas minhas aulas.

O oxigênio é o nosso alimento e estamos adaptados para consumir somente uma determinada quantidade dele.
Mas o ar não contém apenas oxigênio. Muitos outros elementos entram na sua constituição. E todo este coquetel químico é filtrado pelos pulmões.
No estado natural, ou seja, de um corpo funcionando sem a intervenção do pensamento, o ar que respiramos normalmente já supre nossas carências de oxigênio mais do que o suficiente. Nossos pulmões estão preparados para isso e pesquisas recentes demonstraram que a hiperventilação evita o melhor aproveitamento do oxigênio e até favorece o consumo do dióxido de carbono, um subproduto da respiração que deveria ser expelido em vez de reinalado!
Cada órgão funciona assim, prevendo o fluxo de certa substância na devida quantidade e velocidade.

O problema de se respirar voluntariamente de um jeito artificial é alterar a proporção necessária a ser captada pelas narinas e a boca e determinadas substâncias inúteis se acumularem e intoxicarem o corpo.

E como a maior parte das pessoas não vive no campo, nas montanhas ou nas raras zonas livres da poluição moderna, tal respiração controlada irá trazer desarmonia à delicada máquina humana.

Muitos iogues e praticantes de artes marciais e outras práticas energéticas insistem no poder restaurador da respiração abdominal profunda e de outros exercícios respiratórios bem-intencionados.
Mas como o corpo funciona por inteiro e não por partes, qualquer modificação em uma delas exige uma mudança nas demais.

Ar é alimento, assim como comida e água.
O corpo, habituado a consumir determinada quantidade e qualidade de nutrientes, será ameaçado com qualquer alteração neste processo.
E uma quebra de ritmo no seu metabolismo afetará todo o sistema endócrino e imunológico com graves consequências.

Se esses praticantes continuarem a respirar de maneira autorregulada por muito tempo, a sincronia dos seus órgãos será modificada. Se, por exemplo, o ritmo do seu estômago se acelerar, os desequilíbrios como desnutrição e acidez serão previsíveis. E se o inverso ocorrer, o estômago atrasará a digestão!
O mesmo acontecerá com os pulmões, os rins, o fígado... E inevitavelmente ameaçará o cérebro comprometendo a mente e favorecendo comportamentos bizarros e alucinações variadas.

No meu caso, responsável com a segurança corporal e mental dos meus amigos que praticam comigo, recomendo a não mexerem na máquina, mesmo que ela esteja sedentária. Ainda assim será melhor do que tentar retificá-la sem conhecimento verdadeiro da sua mecânica sensível. O organismo humano é um aparelho muito complexo e todo o seu sistema funciona de um jeito interdependente, cada órgão ligado aos outros.

Ou se altera tudo ou não se muda nada no corpo. Caso contrário, corre-se o risco de causar mais mal do que bem a ele. E os exercícios de respiração praticados nas escolas de ioga e artes marciais são perda de tempo e investimento, agravando doenças e/ou levando a devaneios psíquicos e estados alterados de consciência confundidos com visões e sensações "extrafísicas".

Nos casos em que um destes praticantes consegue parar a tempo, o desencadeamento destas disfunções é evitado e aos poucos o corpo retoma sua naturalidade original. Mas se insistem em praticar por muito tempo esses exercícios, os resultados são sempre indesejáveis.

Minha função como professor é evitar danos e minorar prejuízos. Lidamos com articulações e órgãos, cientes de que as peças que nos compõem não são vendidas no comércio.
Por isso seja prudente e conserve sua saúde.

Se algum praticante do MÉTODO IMOTO estiver fazendo experiências de respiração, é preferível parar enquanto ainda é tempo.
Na ACADEMIA IMOTO optamos pelo movimento natural, espontâneo e instintivo. Preferimos facilitar a manifestação da liberdade que o corpo já possui em seu estado natural.

Nenhum comentário: