quinta-feira, 3 de março de 2011

1 + 1 = 3

Mediante a aplicação do princípio Aiki, a soma de forças sinergiza o resultado.

Quando o agressor lança seus golpes, não é preciso revidar e bloquear com força idêntica ou superior. O indicado é combinar a energia do adversário com a sua, sem lhe impor resistência no processo. Neste aspecto movimentos circulares e em espiral são essenciais.
Treine para adicionar a sua força à dele. A soma das duas irá gerar uma terceira força resultante como no encontro de um conjunto de vetores. E quem tem a percepção mais aguçada redireciona este novo vetor e o aproveita a seu favor.
Tal treinamento é qualitativo e acumulativo, pois para aplicar com eficiência o princípio Aiki na defesa pessoal certos métodos não-convencionais de fortalecimento precisam ser praticados por vários anos.
Resumindo: em vez de perder tempo e saúde buscando aumentar indefinidamente a sua força bruta e rapidez, pesquise exercícios e técnicas que lhe ensinem a posicionar melhor seu centro de gravidade e desequilibrar seu oponente. Então poderá liderar seus movimentos economizando energia e movimento a partir da estrutura formada entre dois ou mais corpos.
No clipe abaixo este conceito é demonstrado de um jeito bem didático, e sutil.


Observação: ao assistir a performance acima, repare que enquanto a mecânica da técnica convencional se baseia na alavanca do tipo empurra-puxa, com o acréscimo do princípio Aiki o corpo  "transmite" ondas/vibrações de energia cinética em direção ao centro de gravidade do oponente, justificando à Segunda Lei de Newton. A manobra é executada acelerando a própria massa/peso e sinergizando as oscilações articulares, sem desperdiçar esforços extras no ponto de contato. Isso exige que o praticante aprenda primeiro a unificar seu subconsciente com a sua mente e o seu corpo. Esta tríplice união propicia a aplicação do "Aiki". E um programa inteligente de treinamento para a autodefesa habilitará o praticante a manter dinamicamente esta conexão internamente e a desconectar a integração do adversário.
Mais sobre este assunto clique aqui.

Nenhum comentário: