segunda-feira, 26 de setembro de 2011

COLISÃO COM ONDA DE CHOQUE


Golpear usando somente a velocidade do braço ou da perna segmenta e limita a força.
É essencial que o praticante golpeie por inteiro com o seu centro de gravidade movendo-se de um jeito descontraído, gerando e canalizando as ondas de choque através das articulações.
Como em uma chicotada, a força máxima do golpe se inicia nos pés (ou com qualquer outra parte anatômica devidamente apoiada), passa pelos quadris, sobe pela coluna e termina nas mãos (ou em qualquer outra extremidade, superfície ou prolongamento/extensão do corpo).
No vídeo acima este conceito de impacto entre corpos com colisões elásticas e ineslásticas é representado de forma lúdica e instrutiva.

Os grandes lutadores intuitivamente se aproveitam deste fenômeno das leis da Física sempre que nocauteiam encaixando um soco que basta "tocar" o oponente para surtir um efeito devastador.
A 1 minuto e 20 segundos do clipe abaixo o direto de Ali transfere uma súbita carga de energia cinética para a cabeça do seu oponente em um piscar de olhos (confira a 1minuto e 20 segundos do clipe).

E aqui outra demonstração científica desta habilidade:


"Força é igual massa multiplicada pela aceleração."

Um artista marcial deve GERAR força em vez de FAZER força isolada. E no menor tempo possível. O primeiro passo é aprender a recrutar todos os músculos necessários para se movimentar. Ao sentir a linha de força na qual a energia cinética será transmitida ao longo de uma corrente interna, normalmente favorecida por uma boa estrutura e alinhamento ósseo, essa transmissão em pulsos se converterá em ondas e será alavancada pela capacidade neuromuscular humana de acelerar e vibrar a própria massa aproveitando suas oscilações articulares. A maestria nesta coordenação psicomotora será suficiente para ativar o gatilho do movimento explosivo e projetar uma massiva descarga cinética sobre o alvo bastando um mínimo de contato ou torque. Por isso, qualquer excesso muscular, hesitação, descontinuidade ou colapso na própria postura, bloqueia instantaneamente o fluxo e a expressão natural dessa energia!

Estes e outros princípios aplicados no MÉTODO IMOTO precisam ser compreendidos para se manifestarem na aplicação das técnicas e serem eficazes marcialmente. Com a prática assídua de determinados exercícios especiais que aumentam progressivamente a consciência corporal, ampliam a resistência cardiopulmonar, otimizam a resiliência miofascial e estabilizam a estrutura músculo-esquelética, este poder também estará ao seu alcance.

No MÉTODO IMOTO combinamos cinco tipos de treinamento:
  1. Mental: concentração no que a mente está fazendo.
  2. Corporal: concentração no que o corpo está fazendo.
  3. Resistência: mais de mil repetições de determinados movimentos simples executados com alta intensidade.
  4. Estrutura: atenção na postura e na correção do seu alinhamento.
  5. Corretivos: ajustes nos detalhes do movimento durante repetição controlada.
Contudo, se o praticante ignora as convenções básicas da Física, levará anos para entender intuitivamente certas sensações internas no corpo.

Confira alguns deste conceitos elementares:

Braço de momentum = peso vezes o comprimento a partir do ponto focal mensurado em unidades de força de torque.

Torque = energia rotacional mensurada em Newton metro (N.m).

Para sustentar um peso de 100 N.m pendurado na ponta de um bastão com 1 metro de comprimento se requer 100 N.m de torque na extremidade oposta do bastão sobre a qual a força exercida tem um braço de momentum de 100 N.m.

E=(mv^2)/(2) energia cinética.
A velocidade aumenta ao quadrado a energia do impacto. A massa somente multiplica. 

Por exemplo:
Se você acerta com o dobro de massa você está golpeando com o dobro de peso.
Mas se você acerta com o dobro de velocidade você estará golpeando quatro vezes mais forte.
Se você acerta com o dobro de massa e velocidade você aumenta oito vezes o impacto.

Mas se você acertar com o triplo de rapidez irá golpear nove vezes mais forte!

Logo, acelerar a velocidade na direção certa é muito mais importante do que apenas adicionar mais massa. Marcialmente falando, considere a necessidade de se mover rápido o bastante para não ser contra-atacado, mesmo que seu adversário tome a iniciativa antes.
Outro detalhe é que quanto menor a superfície de contato utilizada no golpe maior será a força aplicada no alvo.
Momentum é igual a massa vezes a velocidade.
Considere o movimento da cintura, dos ombros/escápulas, pernas, largura dos seus passos, ou o arco de distância angular quando girar e pivotear em torno de um eixo nos seus cálculos de distância percorrida.
Se você "quica" no chão, como no Furikomi (um movimento do Kendo), a energia potencial de sua massa corporal será convertida em energia cinética ao aterrizar e receber a Força de Reação do Solo (FRS) e grande parte da carga do seu peso estará multiplicada pela aceleração da gravidade. Aproveite este impulso nos seus movimentos e terá uma tremenda arma contundente!

Nenhum comentário: